Eu sou um prolixo em busca da “cura”.

Vez e outra, me sinto curado, mas eis que sinto umas recaídas ;-)

Enfim, meus textos são longos, eu sei. Sei também que meus leitores são poucos, porque poucos se arriscam a iniciar uma longa leitura digital, arriscando perder seu precioso tempo com uma possível inutilidade (mais uma, neste imenso oceano de informações descartáveis). Mas também estou certo que são poucos e bons, os meus leitores.

Mas então às vezes por aí encontro textos loooongos, bem mais longos que os meus. Cheios de raciocínios abstratos, comparativos, silogismos, citações obtusas, etc, que levam de nenhum lugar a lugar algum. E eu sou brasileiro, não desisto nunca, vou até o fim, pra ver até onde vai a insanidade humana, mas aquele questionamento não sai dos meus pensamentos:

Afinal, pra quem ele está falando?

E você responde: “Pra gente tola como você!” Tudo bem ;) Enfim, são sites que eu sei que são bem acessados. Há leitores, sim, mas tão bitolados quanto os próprios autores. E o mais engraçado é encontrar uma maioria de comentários onde cada um diz o que pensa, não necessariamente a ver com o texto. Um falando grego e outros respondendo em troiano, coisa linda de se ver…

Sensacionais essas coisas da internet.