Se não for "numa nice", não rola

Se não for “de boa”, não rola

A princípio, este texto é destinado aos homens, mas toda a visão aqui oferecida pode ser perfeitamente ser utilizada para a compreensão das dificuldades sexuais das mulheres.

Impotência sexual ou impotência psicológica?

A impotência sexual masculina, como se sabe, atormenta a vida de muitos homens. Creio que, principalmente, os muito jovens, devido à ansiedade, e os muito velhos, devido ao desgaste de toda uma vida.

A medicina e o senso comum afirmam, de modo  geral, que as causas para essa impotência podem ser eliminadas mediante a ingestão de certos remédios, tais como o famoso viagra, o cialis, e outros medicamentos e métodos.

O que não se fala muito é o fato da excitação sexual estar preponderantemente alicerçada num equilíbrio psicológico, de modo que o mesmo proporcione o necessário relaxamento mental e corporal para a coisa funcionar.

Daí se compreende porque isso compromete a vida sexual tanto de jovens como de homens maduros.

Os jovens têm o problema da inexperiência, do despreparo financeiro e portanto, do consequente nervosismo gerado pela ansiedade de se ver inexperiente, travando tudo.

Os mais velhos tem o problema da responsabilidade excessiva que a vida lhes confere, ou que eles mesmos assumem por ambição, sem estarem cientes das consequências negativas que esse peso psicológico excessivo pode lhes causar em sua fisiologia e, por consequência, em sua vida íntima. Sofrem sérios danos à vida sexual por tentarem assumir o papel do super-homem que tudo assume e tudo enfrenta. A sociedade espera que o homem seja simpático, divertido, forte, determinado, ambicioso, rico e bem sucedido e ainda, saudável e uma fera na cama. Mas pouquíssimos indivíduos tem a energia necessária para fechar essas equação toda com saldo positivo.

Erra a sociedade que impõe um ideal impossível sobre os homens, e erram eles ao caírem nessa conversa de que há um papel pronto para interpretarem, sem pensarem criticamente se é isso mesmo que querem (quase nunca é) e se terão os recursos emocionais necessários para arcarem com todas as consequências dessa vida combativa que assumem.

Super-homens não existem

Nós homens temos organismos quase sempre mais frágeis do que gostamos de admitir, e que são fortemente influenciados por uma psiquê complexa e delicada. E os resultados podem ser percebidos da pior forma possível. E mais, podem ser percebidos somente depois de muito tempo de uma vida sobrecarregada. Então o sujeito já nem cogita que seu problema de impotência vem de muitos anos, quando começou a sobrecarregar a própria vida com responsabilidades demais, plantando as sementes de sua desgraça.

Esse texto é um comentário sobre o que vejo como causa principal da impotência masculina: Qualquer tipo de ESTRESSE gerado pelos mais diversos problemas da vida cotidiana, e que resulta em tormentos psicológicos que impedem uma concentração adequada para a excitação ocorrer. Aqui fica então uma mensagem de alerta para os interessados.

Aos jovens fica o conselho da paciência. Com o tempo, a tendência é que as condições financeiras melhorem, o que já ajuda muito. E por mais escassas que sejam, as experiências sexuais ao longo do tempo vão se acumulando, e a prática alcançada vai reduzindo a ansiedade e deixando-nos mais à vontade diante do processo de conquista, e diante das próprias mulheres. O que não se pode é esperar que as experiências sejam perfeitas desde as primeiras vezes. Não serão, uma trapalhada e outras sempre ocorre.

Aos mais velhos (e, porque não, também aos mais jovens) fica o seguinte questionamento: Vale a pena assumir certas posições sociais e profissionais, para alcançar certos ganhos financeiros, cuja pressão psicológica advinda pelas responsabilidades assumidas vão implodir sua vida sexual?

Eu tenho CERTEZA que não. Se a mim fosse dado escolher, preferiria ser pobre e ferver na cama, do que ser rico e morno, quem sabe, frio.

Inteligência é afrodisíaco

Já tratei sobre esse tema, de modo mais brando e romântico aqui, e aqui, ao comentar o quanto a inteligência é afrodisíaca.

Para mim, é.

E certamente também é para muitos homens, que talvez não admitam nem para si mesmos, ou por falta de auto-conhecimento, ou porque talvez nunca tenham prestado atenção nisso. Ou fujam dessa condição, já que lidar com mulher inteligente não é uma tarefa simples. Tem que ser bom ;)

O verdadeiro órgão sexual de qualquer pessoa é o cérebro. Os genitais são apenas extensões sensoriais ;) É no cérebro que surge o desejo. E a complexidade da constituição psicológica de cada um explica toda a graduação que há entre os gêneros – partindo da mais convicta heterossexualidade até a mais completa homossexualidade. É também essa complexa psicologia sexual que explica a mais exacerbada sexualidade e a mais casta assexualidade. E é também essa complexidade individual que explica as mais variadas fontes de excitação e os mais bizarros fetiches; passando pelas mais diversas combinações entre todos esses extremos do comportamento sexual humano.

Observando tudo isso, notamos o que já percebemos intuitivamente: que a sexualidade humana não é algo fácil. Mas também se deduz um conceito muito simples, que é a mensagem deste texto:

Para se ter uma vida sexual saudável, é preciso manter uma mentalidade saudável. E por mentalidade saudável, entendo moderação nos compromissos, assumindo responsabilidades na vida que estão dentro das possibilidades e recursos emocionais disponíveis para sustentá-las; por mentalidade saudável entendo também uma vida saudável, isto é: boa alimentação, utilização moderada de álcool, bons níveis de diversão, que é o que deixa a coisa toda leve, e por fim, uma crença favorável aos prazeres da vida, não só sexuais.