O inimigo é oculto... e quase onipotente

O inimigo é oculto… e quase onipotente

Agora a pouco o Fantástico apresentou mais uma de suas matérias com caráter de utilidade pública alertando para os perigos dos agrotóxicos ainda amplamente utilizados nas lavouras e consumidos pelos brasileiros.

E como não poderia deixar de ser, sugeriu alguns procedimentos para amenizar a presença dos tóxicos nos alimentos que consumismos.

Talvez valha a pena adotá-los. Porém eu e meus botões aqui concluímos que é tudo bobagem. São procedimentos bons para quem gosta de se enganar :(

Essa questão de “agrotóxicos” nos alimentos que consumismos são a ponta do iceberg. Pra cada 50 frescurinhas que você adota pra evitar contaminações tem outras 5000 possibilidades de contaminação com tudo o mais que a nossa  sociedade industrial produz com cujos produtos convivemos diariamente.

O convívio com composições químicas artificiais é uma condição irreversível. Quem saberá quantos desses produtos artificiais que utilizamos nos fazem mal em algum nível maior ou menor? A própria ciência se contradiz quanto a esses estudos. Lembro perfeitamente que há alguns anos eu li uma resportagem sobre um estudo científico que apontava que o tomate ajudava a prevenir certos tipos de câncer. Não muito tempo depois, li outra reportagem dizendo que legumes como o tomate poderiam causar câncer justamente devido aos agrotóxicos que recebiam demasiadamente.

E agora?

Aposto que você também adora o cheirinho de livro novo, não é? Mas você pensa o que, que esse cheirinho provém da natureza? Ou dos inúmeros compostos que ajudam uma árvore se transformar num papel branquinho e lisinho? E o cheirinho de carro novo, e de outros tantos cacarecos que você vive comprando pra sua casa? Você, que por exemplo se preocupa tanto com os agrotóxicos nos alimentos pensa o que? Que esses cheirinhos de novo feitos intencionalmente para seduzi-lo(a) são naturais? Já parou pra pensar nos compostos químicos utilizados para produzir esses cheiros? Corantes, estabilizadores, conservantes, etc são várias das palavras sempre presentes nos rótulos da infinidade de produtos artificiais que temos a nossa disposição.

Isso! Pare e perceba que praticamente  TUDO que você consome foi produzido artificialmente, com base nas mais complexas reações químicas e então relaxe :) porque esse é um caminho sem volta. Seu corpo já está cheio de compostos químicos os quais você nem imagina.

Um exemplo bobo para quem vive nos grandes centros: Adianta o que limpar seus alimentos meticulosamente para livrá-los dos agrotóxicos se você está o tempo todo respirando esse ar poluído que paira sobre a sua cidade?

A não ser que você volte a morar numa caverna, e volte a se vestir com peles de animais e volte a comer o que conseguir caçar, você nunca mais conseguirá se afastar de possíveis contaminações. Esta seria a única situação que lhe daria a garantia  de que você só estará consumindo produtos plenamente livres de quaisquer tóxicos possíveis. Mas voltar pra caverna ninguém quer, né?

O jeito é relaxar e largar pra Deus :) porque já perdemos o controle das coisas faz tempo, se é que algum dia detivemos esse controle.