O texto abaixo é de Robert Holden. É uma mensagem muito clara e objetiva sobre o quanto a imagem que fazemos de nós mesmos influencia completamente os nossos destinos, devido as escolhas que fazemos para as nossas vidas, e que são feitas com base no merecimento que pensamos ter (ou não) das coisas, segundo o valor que damos a nós mesmos através desta auto-imagem. Achei válido publicá-lo aqui, porém com uma ressalva:

Eu não acho que a mensagem dele é absoluta. Há sim algumas coisas erradas com alguns de nós. Todos temos nossos limites, sejam de ordem física, emocional ou intelectual. E esta auto-observação crítica é fundamental justamente para a nossa auto-melhora constante. No caso do texto abaixo, a mensagem vale mais para aquelas pessoas que, como diz o ditado, encontram pêlo em ovo, isto é, para aquelas que realmente não possuem nada de errado, mas ainda assim possuem uma péssima imagem de si mesmas.

Nem te conto...

Nem te conto…

O medo de haver alguma coisa errada com você é o seu maior obstáculo à alegria. Na verdade, não existe outro obstáculo.

Quando você sente que tem alguma coisa errada em você, algo ruim, alguma carência ou insuficiência, sua vida reflete essa crença. Diante disso, você tem a impressão de que os outros o rejeitam, que o mundo se fecha para você, que o destino é cruel, que a vida está contra você, que os céus estão punindo-o. Na verdade, é você que está se condenando e sabotando tudo que é bom. Assim, tudo é uma luta, os sucessos são muito árduos, a felicidade é breve, o amor sempre dá errado e não há paz.

Não há nada de errado com você. Certamente, sua percepção pode estar alterada. E seu raciocínio pode estar falho. E você pode tomar péssimas decisões. Por exemplo, você pode escolher ver defeitos em você que ninguém mais vê. Você pode inventar histórias de como você é ruim. Você pode tentar convencer o mundo de que não é digno de amor. Dê a essas ideias estranhas todo o seu poder, se quiser, mas quem você é – seu Eu incondicional – permanecerá íntegro, digno e são.

A verdadeira psicoterapia é o processo de realinhar seu modo de se ver. A mudança acontece sempre que você pratica a auto-aceitação incondicional. A mudança acontece sempre que você se dá um tempo. A mudança acontece sempre que você opta pela bondade no lugar do julgamento, pelo perdão em vez da autoagressão, pelo riso e não pela condenação. A vida sempre melhora quando você se trata melhor.

O ato final (e único) da cura consiste em aceitar que não há nada de errado com você. Experimente fazer este exercício hoje. Insista em procurar o que há de bom em todas as pessoas que você encontrar. Veja a luz em seus olhos, em seu rosto, em seu sorriso e em sua presença. Faça uma reverência mental para a luz presente em todas as pessoas com quem você encontrar hoje. Acima de tudo, não diga a ninguém que há alguma coisa errada com elas. Quando você lança essa luz sobre os outros, a fortalece em seu interior.

***

Autoria de Robert Holden / Trecho do original em inglês