Bons costumes

Moral - Uma corda bamba

Moral – Uma corda bamba

Sempre que ouço o termo “bons costumes”, sinto uma aflição.

Porque quem cita os bons costumes, tem também sua lista de maus costumes.

Claro que existem aqueles atos cuja avaliação como um mau costume é unanime. Roubar ou Matar, por exemplo. Só o doente social acha normal roubar, ou natural, matar. Talvez até seja, mas como, particularmente, não espero ser morto na esquina, continuo acreditando que matar não é natural, não é legal, enfim, me parece um mau costume.

Porém, a maioria do que se tem como maus costumes, está num meio termo entre a rejeição unânime e a aceitação e adoção segmentada por alguns grupos.

Ora, o que para um é um mau costume, para outro pode ser um costume tão digno quanto qualquer outro, porém apenas… diferente.

Entra nessa lista os seguintes costumes:

  • religiões minoritárias (toda e qualquer religião que cristãos possam dizer que é coisa do demônio);
  • uso de substâncias químicas, lícitas (bebidas alcoólicas, cigarros) ou ilícitas;
  • orientações sexuais não convencionais (homossexualidade, bissexualidade);
  • relacionamentos não convencionais (casamentos abertos, poligamia);
  • profissões não convencionais (prostituição);
  • qualquer outra coisa, pessoa ou hábito no qual você tocaria fogo, se pudesse ;)

Sendo assim, da próxima vez que utilizar o termo bons costumes, tenha, no mínimo, a ciência de que é um termo BASTANTE relativo, em relação ao grupo que pertencemos, ao espaço em que convivemos e ao tempo em que estamos vivendo.

Moral

Tira Deus dessa história

Tira Deus dessa história

O termo moral também me causa receio.

Moral é uma coisa boa?

Acho que é. Talvez mais necessária, do que boa.

Todos os lugares e tempos tiveram sua moral e aquilo que se tem como bons costumes.

São necessários porque servem de parâmetro aos desavisados.

Na dúvida, que se siga as regras da moral. Assim não se corre o risco de fazer algo reprovável.

Mas penso que a moral tem que ser uma moral inteligente, nobre, aberta, capaz de se auto-questionar e de se renovar.

A moral fechada e endurecida é solo fértil para o preconceito, aquele que aponta o dedo, julga, segrega e exclui.

Essa parte ruim da moral se chama MORALISMO.

E o moralismo é a raiz de todo julgamento injusto.

Particularmente, EU ABOMINO qualquer moralismo.

Moralismo

Moralismo, uma invenção humana, local e temporal. As regras morais de hoje não são as mesmas de ontem, nem as mesmas de amanhã. O moralismo daqui também não é o mesmo de lá. Sendo assim, nenhum moralismo pode estar plenamente CERTO.

Portanto, cuidar da própria vida continua sendo a melhor sugestão, de todos os tempos, e de todos os lugares.

Veja bem

Tenho um certo receio de defender demais uma visão transgressora assim. Não quero que pensem que tenho tendências para o que defendo. Penso sim que negros, homossexuais, bissexuais, drogados, prostitutas e mesmo pessoas comuns mereçam mais respeito e principalmente compaixão, afinal, são seres humanos tão inseguros quanto eu ou você. E há uma probabilidade GRANDE de que alguns deles estejam vivendo uma vida mais interessante do que a nossa. Mas que fique claro: de fato, não tenho a menor tendência para esses hábitos ou orientações. Não ando com essa gente. Aliás, mal ando com GENTE ;)

E é aí que as pessoas, principalmente os moralistas, se equivocam. Pensam que defender essas minorias significa que suas práticas devam ser incentivadas e adotadas por toda a sociedade.

Não!!!

Tudo que elas querem é PAZ e alguns direitos.

A verdade é que não precisamos ter qualquer ligação com essas minorias para deixá-las viver.

 

Muito pelo contrário, basta que cuidemos mais das nossas vidas, e menos da vida delas. Quanto mais cuidarmos da nossa vida, melhor para elas.