Se o vizinho soubesse...

Se o vizinho soubesse…

Dias atrás li um texto do Stephen Kanitz que me levou a mais uma reflexão sobre um tema recorrente aqui, o casamento. No texto, o autor tenta convencer o leitor que o homem casado vive com uma qualidade de vida maior que o solteiro, presumindo-se então que ser casado é melhor do que ser solteiro. Já os solteiros pensariam – ou dizem – exatamente o inverso.

No meu ponto de vista, são duas visões equivocadas. Penso que o ser humano, homens e mulheres (e variantes) são seres muito complexos e toda e qualquer generalização levará a algum nível de equívoco.

As pessoas tem suas predisposições íntimas. No caso dos homens, não é difícil perceber que há homens da casa, e há homens da caça (e homens caseiros que gostam de sair pra caçar de vez em quando e ainda, caçadores profissionais que não dispensam o seu “recanto”). Veja que conquistar mulheres é uma tarefa extremamente penosa para muitos homens ( oi? ;) ) enquanto para outros é tarefa comum e até vital.

Cuide de sua vida!

Cuide de sua vida!

Uns preferem a segurança e a estabilidade, que sabemos que são ilusões num mundo onde tudo é transitório. Outros preferem os desafios, numa busca velada por autoestima, resultante das “vitórias” alcançadas em sucessivos relacionamentos que contudo, podem ser vazios. O casado pode já não estar se contentando muito com o que encontrou. Solteiros – sejamos francos – nem sabem ao certo o que procuram. A vida é assim mesmo, não dá trégua. Ser humano é estar sempre sob algum tipo de tensão. E paz, de verdade, acho que só vamos encontrar no cemitério.

Pesa contra o homem casado o fato de que a grama do vizinho é sempre mais verde, e sobre esta realidade desgraçada da vida ;-) pesa também sua credulidade. Pois para o solteiro ajuda o fato de que ele pode mentir para o casado sobre suas aventuras. Pode gritar ao mundo os seus “êxitos” mas o que se passa de verdade, bem, você sabe, nunca é aquilo tudo. As pessoas gostam (ou precisam) de contar vantagens, para se sentirem bem com a falsa sensação de superioridade, mas são intrinsecamente iguais, sós e infelizes.

A grama pode parecer mais verde do outro lado da cerca, mas isso é só por que você não consegue enxergar muito bem dessa distância.

Quanto aos solteiros, não sei como conseguem se jogar de mãos em mãos sem que haja uma real conexão afetiva e até – me perdoem os entusiastas do sexo – uma sintonia intelectual, com suas parceiras. Ainda acho que melhor do que conseguir a atenção de uma bela mulher, é ser compreendido e aceito por ela em toda a sua humanidade. Feito relativamente difícil de se alcançar, não por alguma incapacidade feminina ;-) , e sim porque tenho dúvidas se alguém já se sentiu algum dia integralmente compreendido nesse mundo…

Como se pode perceber com um pouquinho de reflexão, vemos que a vida não é fácil pra ninguém ;-) Só acho fundamental que cada qual possa seguir suas inclinações e dar vazão às suas predisposições sem apontar o dedo para o outro lado com a certeza de que o outro está errado.

Não!

Há caminhos e caminhos. Uns preferem quantidade, outros qualidade, e todos sabemos que quanto melhor for algo, mais raro será. Então cada qual que arque com suas escolhas.