Se engana quem acha que riqueza e status atraem inveja.

As pessoas invejam mesmo é o sorriso fácil, a luz própria, a felicidade sincera, a alegria exagerada.

O que incomoda as pessoas são as amizades que o outro atrai, a boa energia que transmite, o brilho ofuscante no olhar, a sinceridade espontânea, o amor verdadeiro, a positividade pela vida, a leveza no andar e a paz interior.

Maira Cintra

Não se esqueça de sorrir

Não se esqueça de sorrir

Acho que esse textinho da Maira resume bem toda essa questão da inveja e de seu sinônimo mais recente, o recalque.

O fato é que quem brilha, isto é, quem vive uma vida de movimento, prazer e diversão, vivendo para si, e não para impressionar os outros, vai chamar a atenção das pessoas.

Uma parte vai admirar e se espelhar. A outra, vai invejar.

Contra esses, para o invejado. continua valendo aquele ditado:

A melhor vingança é ser feliz.

Regina Navarro traz um exemplo interessante sobre este tema:

A inveja das vizinhas

Virgínia, uma terapeuta corporal de 35 anos, mora com o filho de 8 anos num prédio de classe média da zona sul. É a única mulher divorciada do edifício, sendo todos os outros moradores casados. Apesar de não conviver com suas vizinhas, foi impossível deixar de conhecê-las, por conta das novas amizades do filho.

A maioria não trabalha e por isso se reúne diariamente na piscina do condomínio para conversar. Virgínia é independente, trabalha muito no consultório e tem uma vida social intensa. Organiza festas em casa, recebe amigos para jantar e sai com os eventuais namorados que vão buscá-la de carro na portaria ou sobem ao seu apartamento.

As vizinhas observam de longe. Certa vez, uma delas, ao encontrá-la no elevador, decidiu fazer-lhe uma confidência: “Sabe, depois que você veio morar aqui, a gente não fala em outra coisa. Ficamos comentando como a sua vida deve ser interessante e divertida, como é diferente da nossa. Eu acho que tem muita gente aqui morrendo de inveja de você.” Fonte

Texto de 24 de maio de 2014.