Bordô é seu ~  manto ~

Bordô é seu ~ manto ~

De 27 de agosto de 2001.

***

Onde estás agora?
Quero te tocar
Que falta me faz
toda te amar

Roçar minhas mãos
na ardente fogueira
Suspiros quentes
Vermelhas roseiras

Bordô é seu manto
Eu vou penetrá-lo
Escorrem as mãos
Pressa por retirá-lo

Pernas encontradas; Receosas […]
Vou afastá-las; Confortá-las
Jóia procurada; Almejada […]
Vou conquistá-la; Dominá-la

A distância doeu
Quase me enlouqueceu
Agora a sublime união
Seja eterno apogeu

Sua pele quente
Sinto na alma
Absorto da minha
Quero tomá-la

Excesso […] Calor e suor
Ali somos uma essência
Unidos água e fogo
Insólita envolvência

Os lábios desejosos
Tanto prazer ocultam
Aos mergulhos misteriosos
Ávidos me procuram

Sensual energia
A troca é intensa
O pecado me tenta
O prazer me domina

Busca incansável
Meu louvor é pra ti
Amo-te até o fim
Paixão infindável

Seus cabelos longos
São véu natural
Deslizam suaves
Com magia sem igual

A energia jorra
Me esvazio todo
Seu olhar era terno
Agora está soberbo

Feminino poder
Do olhar que me mata
Tão intenso ser
Vez e outra me maltrata

Abraço demorado
Deslizes lentos
Suaves carinhos
Um belo momento

Moreno entardecer
Pudéssemos eternizar
Você a me beijar
Exausto a te abraçar

Então vem teu sorriso
Um ser de satisfação
Foi breve, mas foi lindo
Nosso momento de paixão

/ Ronaud Pereira /

***

Veja outros poemas